Slide


Imagem


















  
Essa crônica foi retirada do livro "Da boca pra dentro" da escritora Yohana Sanfer. Saiba mais sobre a obra na página do livro. Todos os direitos reservados a autora ©. 
O vento que passou por aqui me descabelou. Rodou minha saia e os pensamentos. Bagunçou as ideias arrumadinhas, sacudiu o meu querer. Levou embora minhas perguntas, driblou minha mania de certezas e afagou minha sede de respostas.
Como brisa que amansa com o tempo, beijou-me os cabelos e acolheu os meus receios. Falou em meu ouvido e me bordou asas grandes. Velou meu sono e me ajudou a levantar cedinho. Vento feito passarinho. Mandou meu medo voar.
Varreu as dúvidas que prendem os passos, limpou a poeira que a ilusão deixou. Vento brando mas certeiro. Vento sem pressa mas revelador. Deixou vírgulas fora de lugar e reticências em lugar de ponto final. 
Fosse o vento algo palpável, me daria a mão. Ajudaria a criança em mim a atravessar a rua e as fases de impasses desta vida.
Vento bom que me inspirou. Levantou a folhagem do meu quintal feito manhã de outono. Sua festa sacudiu o meu varal. Espalhou pelo chão as estrelas que eu pendurei. Disse que vontade que nasce no peito tem que vir do chão e criar raiz.
Obedeci ao vento, me rendi como aprendiz. Estou pendurando planos e abraçando sonhos. Estou rasgando listas e multiplicando vontades. Largando as bordas do que conheço e indo ao encontro do que ainda não vi.
Estou deixando de temer pelo futuro e botando fé naquela intuição gostosa que diz que ele pode ser bom. Deixo de seguir por caminhos já trilhados e de me guiar pelo que esperam de mim. Desato os nós dos desejos sbafados por dentro e curso os ditados pelo coração.
Minha bagagem está cheia do brilho da imaginação. Cheia de uma paz conquistada e de uma alegria ousada. Cheia de tempo pra ser inteira e pra olhar ao redor.
E não abandono a razão que existe em mim. Meus passos são conscientes. Meu jogo é pra ganhar. Visto o meu sorriso, perco minhas chaves, me desfaço de mapas, me jogo na berlinda da vida e vou. E voo.
O vento que passou por aqui me ensinou a voar. Um vento chamado coragem.

Compartilhe com os amigos

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!

•Fique à vontade para dar sua opinião, sugestões e críticas (desde que com moderação e respeito, terei o maior prazer em responder :D)
• Comentários com palavrões, que incitam discriminação ou preconceito serão excluídos;
• Se quiser deixar o link do seu blog, com toda satisfação retribuirei a visita!