Tecnologia do Blogger.

{Poema de Quinta} As estrelas e os cometas

Imagem
Há pessoas estrelas e há pessoas cometas... 
Os cometas passam. Apenas são lembrados pelas datas que passam e que retornam. As estrelas permanecem. O sol permanece. Passam anos, milhões de anos, e as estrelas permanecem.
Há muita gente cometa.
Passa pela vida da gente apenas por instantes. Gente que não prende ninguém e a ninguém que se prende.
Gente sem amigos, gente que passa pela vida sem iluminar, sem aquecer, sem marcar presença.
Importante é ser estrela. Estar junto. Ser luz. Ser calor. Ser vida. 
Amigo e Paixões são estrelas. Podem passar anos. Podem surgir distâncias, mas a marca fica no coração. Coração que não quer enamorar-se de cometas, que apenas atraem olhares passageiros.
Ser cometa é ser companheiro por instantes, explorar os sentimentos humanos, ser aproveitador das pessoas e das situações, fazer-se acreditar e desacreditar ao mesmo  tempo.
Solidão é resultado de uma vida cometa. Ninguém fica, todos passam. Há necessidades de criar um mundo de estrelas. Todos os dias poder contar com elas e poder sentir seu calor.
Assim são os amigos estrelas na vida da gente.
São coragem nos momentos de tensão. São luz nos momentos de desânimo. Ser estrela neste mundo passageiro, nesse mundo cheio de pessoas cometas, é desafio, mas acima de tudo uma recompensa. 
Recompensa de ter sido luz para muitos amigos, ter sido calor para muitos corações, ter nascido e vivido e não apenas existido.

Autor: Reinilson Câmara | Texto original aqui.

{Livro} Rotas de Fuga - Nina Spim


Rotas de Fuga
Páginas: 309
Gênero: Romance
Formato: E-book
Editora: Independente
Adquira o livro: Amazon 
Lançamento: 2017

Autor : Nina Spim
Avaliação: ✮ ♥ [Favorito]
Seguir em frente é algo que Hollin ainda está descobrindo como fazer. De volta ao Brasil, depois de uma temporada na Inglaterra, ele precisa se adaptar à realidade de frequentar uma universidade, fazer amigos e conviver com a nova família de seu pai, assim como suavizar sentimentos inquietos de um passado ainda em aberto. Mesmo tão preso ao que o consome, reconhece emoções parecidas em Eleanor, uma colega que não revela muito ao mundo. Cada um com sua história a ser dividida, Hollin e Eleanor entendem que a morte e a vida podem ser aplicadas no amor, na confiança, na liberdade e na esperança.
Hollin é um garoto que carrega grandes feridas emocionais apesar da pouca idade . Imerso em um mar de sentimentos difíceis de ser entendidos até por ele mesmo, tamanha é sua surpresa ao receber a notícia que deixará a Espanha para voltar ao Brasil, para morar com sua meia-irmã, sua madrasta e seu pai (com quem tem pouquíssima afinidade).
Junto com a prima Celeste, Hollin retorna ao país de seu nascimento e apesar da mudança, a nova rotina não surte  efeitos positivos no garoto. Tudo permanece sem graça e monótono, semelhante aos seus últimos dias na Espanha.
O que sou eu, senão apenas essa caverna interna - que, de algum modo, cabe o mundo, todo esse emaranhado, por entre meus órgãos vitais?
Os fantasmas de um passado não tão distante insistem em permanecer na vida de Hollin e ele já não possui forças de mudar isso. Sua vontade de conhecer novas pessoas, fazer novas amizades e desfrutar do que o universo acadêmico oferece são praticamente nulas, até que algo (ou melhor alguém) parece reverter essa situação. Duas irmãs, opostas em aparência e personalidade cruzam a vida de Hollin e uma se destaca  por seu olhar desinteressado e o pouco entusiasmo em tudo o que a rodeia. Afinal, essas atitudes não são desconhecidas por ele. De uma forma bem diferente, Eleanor desperta a curiosidade de Hollin e o garoto terá que superar seus medos para conseguir chegar ao coração da garota, que semelhante ao dele, parece ter feridas abertas que o tempo ainda não foi capaz de fechar.
Todos nós temos uma porta trancada. às vezes, guarda o nosso melhor, ao invés do pior.

Devo confessar que demorei para concluir essa leitura. Não por ter uma narrativa arrastada, longe disso. Me prolonguei porque queria absorver todas as reflexões presentes na história. A escrita da autora foi capaz de transmitir os sentimentos do protagonista de forma muito precisa e a narrativa em primeira pessoa despertou empatia  por Hollin desde as primeiras palavras.
Os personagens secundários também merecem destaque, principalmente Vó Jade, de uma meiguice e doçura que  só as avós são capazes de demonstrar (♥).
O livro ainda desenvolve um importante papel por abordar a saúde mental e doenças como a depressão e ansiedade, pois mesmo que o assunto venha ganhando visibilidade, ainda existe muito a ser alcançado, discutido e divulgado.
'Rotas de Fuga' entrou para os meus livros favoritos pela narrativa reflexiva, pelas referências literárias, pelos personagens cativantes , enfim, por mostrar que é necessário continuar tentando e apesar de parecer difícil, somos capazes de ultrapassar os nossos limites sempre.
Estamos no tempo que nos permite ser quem somos - ás vezes para modelar o agora para que caiba no futuro; às vezes, para estar ali, só ali.
Para quem está em busca de uma história que faz pensar, com uma narrativa delicada e poética e personagens únicos, esse é o livro!


Espero que tenham gostado,


Até mais!