Tecnologia do Blogger.

Livro - (Im)Perfeição

Título: (Im)Perfeição
Autora: Helena Souza
Editora: Independente
Páginas:400
Onde Comprar: Amazon  
Avaliação  [5/5]

Forest Hill, 2013. A cidade está em tensão, ninguém sabe quem será o próximo, bom, devido aos últimos três corpos encontrados, garotas loiras são as que correm mais perigo. Alguns meses atrás ninguém naquela pacata cidade poderia imaginar que alguém entre eles, algum vizinho, amigo, ou conhecido poderia ceder à loucura e começar a caçar pessoas para matar. Mas agora está tudo diferente, todos são suspeitos. A polícia trabalha sem descanso em busca do responsável, mas quem está por trás disso é alguém bem engenhoso, sabe muito bem onde agir e como agir. O telefone não para de tocar, são cidadãos apavorados que dão nomes aleatórios somente para que aja uma prisão logo, isso faz com que as investigações não avancem da maneira desejada. O resultado? Após 10 meses e com um saldo de 6 jovens mulheres encontradas mortas na região do pântano próximo a cidade, o assassino simplesmente parou de atacar. Nunca fora pego.
Forest Hill, 2015. Lentamente a cidade voltou ao seu ritmo, o medo aos poucos havia desaparecido e os moradores passaram a sorrir com mais frequência. Sophie Fields voltou há alguns meses para a cidade, formada em artes visuais, seu senso de dever a faz ajudar a mãe na padaria. Josh Sanders é filho de um conhecido detetive da cidade e, por consequência, acabou se tornando um. Tanto pai como filho trabalharam no caso Maníaco do Pântano, que assolou a cidade há dois anos, depois disso o pai se aposentou e o filho agora é o único Sanders detetive. (Im)Perfeição é narrado através das perspectivas de Sophie e Josh, dois jovens que, em meio a um romance, descobrem que o terror que todos pensavam ter acabado, decidiu voltar. 
(Im)Perfeição é um livro de publicação independente e primeiro livro da autora Helena Souza.
Logo nas primeiras páginas somos apresentados à cidade de Forest Hill, um pequeno lugar da Flórida que tem sua tranquilidade ameaçada por um serial killer popularmente conhecido como "Maníaco do Pântano", que tortura e assassina garotas predominantemente loiras e no auge de sua juventude.  
O primeiro ataque foi em 2013, período em que Sophie Fields estava em Tallahassee se graduando na área de artes visuais e tudo o que ficou sabendo na época foi através de jornais e notícias.
Estranhamente, o Maníaco após uma série de assassinatos desaparece sem deixar rastros, intrigando os moradores da cidade e a polícia quanto a sua identidade e o seu paradeiro. 
Dois anos depois desse trágico acontecimento, Sophie retorna a Forest Hill para ajudar sua mãe Bonnie no negócio da família, juntamente com sua irmã Chloe e  Louise, recém-contratada pela sua mãe e com quem inicia uma bela amizade. Sophie auxilia na parte de entregas da padaria, o que não poderia ser melhor, pois através de suas idas ao departamento de polícia ela pode ver Josh Sanders, um detetive muito responsável por quem se apaixonou desde o primeiro instante em que o viu. Após algumas idas à delegacia, ela se surpreende ao ser convidada por Josh para sair e a possibilidade de ter seu sentimento correspondido a deixa eufórica.
Após um lindo encontro (ponto para a autora) os dois iniciam um relacionamento que apesar de ser intenso será ameaçado após o surgimento de indícios do possível retorno do Maníaco do Pântano: Josh procura manter sua namorada protegida, mas frequentemente confunde a proteção com o distanciamento da garota de sua rotina. Sophie traça o rumo contrário, já que quer saber mais das investigações pois sente que sua ligação com o caso vai além das características físicas [ela se enquadra perfeitamente no perfil das vítimas do Maníaco].
Em uma corrida contra o tempo, a cidade estremece ao descobrir a primeira (ou a sétima?)  vítima do maníaco e a busca por descobrir a autoria dos crimes se mostra mais difícil do que inicialmente era, exigindo um maior esforço da polícia e de Sophie, que resolve investigar o caso sozinha, um risco que ela está disposta a correr. Nesse cenário amedrontador ela descobrirá que o perigo mostra à espreita e que tudo que somos ou fazemos tem um alto preço, que nem sempre podemos pagar.


Sem sombra de dúvidas (Im)Perfeição foi ótima surpresa dentre os livros do gênero. Já tinha lido outros livros de romance policial e essa leitura não deixou a desejar em nenhum aspecto. A escrita de Helena é fluida  e bem desenvolvida, o que me deu autonomia de dar alguns palpites [mesmo que incorretos :( ] sobre a real identidade do maníaco.
A narrativa é em primeira pessoa e os capítulos se dividem nas perspectivas de Sophie e Josh (à vezes um capítulo aborda as duas visões), personagens bem construídos e com personalidades marcantes.
As 400 páginas do livro proporcionam ao leitor um misto de emoções que vão do medo à alegria, que no meu caso veio quando consegui descobrir quem era o serial killer antes mesmo do seu nome aparecer entre os suspeitos (apesar de não ter sido fácil, rs).
Com uma aura de mistério envolvente, a leitura é recomendada a toda a comunidade leitora, por sua história muito bem contada e sincronia apresentada, que vai desde a capa até a última palavra dessa leitura intrigante.
Simplesmente leiam!

Abraços  e até a próxima!

Parceria - Autora Renata R. Corrêa


Olá queridos leitores!
Como já sugere o título do post, o Inania Verba firmou mais uma parceria, dessa vez com a autora Renata R. Corrêa! Agradeço infinitamente a Renata por ter acreditado no blog e torço para que essa parceria que se inicia proporcione resultados positivos, para a autora e para o blog.
Conheçam um puco mais da autora e seus livros:
Acompanhe as redes sociais:

Renata dos Reis Corrêa nasceu em 04/03/1981 em Guimarânia, interior de Minas Gerais, e atualmente mora em Uberlândia-MG com o marido e os dois filhos, um casal de gêmeos. É médica oftalmologista por formação e uma apaixonada pela escrita, pelas histórias de amor e principalmente pelos finais felizes. Uma romântica incorrigível! Escreve em seu blog renatacorreaescritora.blogspot.com.br e já escreveu quatro romances e um livro de contos, sendo que “Contra todas as probabilidades”, seu romance de estreia e seu livro de contos “Amores e desamores”, foram publicados de forma independente, em ebook na Amazon. Seu segundo romance, “As coisas não são bem assim” acaba de ser lançado pela editora Pandorga.


Clarice, uma jovem estudante de medicina, perde seu namorado, que acreditava ser o grande amor de sua vida, às vésperas da formatura, após sofrem um grave acidente de carro. Morre com Guilherme um pouco da alegria de viver de Clarice, da sua esperança e do seu futuro.Depois de mais de um ano do falecimento do seu amado, o destino coloca na vida de Clarice, Henrique, um jovem advogado viúvo e pai da Duda, uma linda menininha loira, muito esperta e amorosa. Envolvidos por um amor sincero, terão que enfrentar grandes dificuldades e um sofrimento inesperado.É uma bonita e delicada história sobre recomeços, fé, esperança e sobre o poder do amor. 

 A vida profissional de Ana, uma jovem e solitária decoradora de interiores, órfã de pai e mãe, estava ótima, já sua vida pessoal andava de mal a pior. Até que um certo dia, após ouvir uma bela canção de amor no rádio, começou a se sentir diferente, quando teve um pressentimento de que sua vida estava prestes a mudar, como se aquela melodia, cantada por uma incrível voz rouca, tivesse tocado seu coração. Ela se apaixona então, platonicamente, pelo músico Marcus, o vocalista da banda que tocava na rádio, e acaba o conhecendo de uma forma inusitada. Depois desse encontro, sua vida nunca mais será a mesma.Contra todas as probabilidades faz referência à improbabilidade da história de amor entre Ana e Marcus, por viverem em realidades diferentes, cidades diferentes, estarem envolvidos em relações diferentes e, mesmo assim, unirem seus corações. É uma história bonita de amor, de dor, de sofrimento, mas principalmente de aprendizado e de recomeços. O livro inspira esperança porque permite ao leitor acreditar que tudo pode melhorar desde que não se desista, mesmo contra todas as probabilidades.




Nesta coletânea de 11 contos curtos, a autora narra de forma delicada, característica da sua escrita, histórias de amores que deram certo e de outros que não terminaram bem, dividindo com o leitor a angústia, o sofrimento e o medo de seus personagens, bem como seus sonhos e suas alegrias.




Fiquem ligados no nosso perfil do Instagram, pois vou publicar maiores informações das obras da  autora e em breve sairá resenha dos livros por aqu!
Beijos!

Divulgação - Autora Marília G. Barbosa

Imagem retirada da página da autora
Oi Pessoal!
O post de hoje é para divulgar a autora Marília G. Barbosa, autora dos livros "Um ano com você" e "Selene e o Dragão" que será lançado pela editora Pendragon no  próximo mês.
Conheça mais um pouco das obras da autora:



A escritora Marília G. Barbosa se divide entre a publicação independente na Amazon do romance Um Ano Com Você e a fantasia Selene e o Dragão que será publicada pela Editora PenDragon, em Junho. A fantasia já conquista os leitores antes mesmo de ser lançado, e a autora disponibilizou uma degustação no Wattpad, e pré-venda por apenas R$29,90.

Suas obras:


Título: Um ano com você
Páginas: 300
Adicione na estante: Skoob
Onde comprar: Amazon

Mel e Brian são completamente opostos. Ela é centrada, introvertida, estudiosa e muito organizada. Ele é divertido, meio rebelde, extrovertido e despreocupado. Mesmo se conhecendo desde crianças, eles não têm muito em comum, exceto pela casa onde passam a morar juntos quando seus pais decidem viver juntos. Rixas e memórias antigas entre os dois vêm à tona quando se veem em quartos separados apenas por um corredor. Afinal, sentimentos podem mudar tanto no decorrer de apenas um ano?
Título: Selene e o dragão - Livro 1
Páginas:300
Adicione na estante:  Skoob
Onde comprar: Loja Pendragon
 Em meio a uma guerra entre humanos e dragões, Selene foge de uma tragédia que destruiu sua vila e se vê frente a frente com um inimigo de sua espécie: um dragão, caído e vulnerável. Contrariando tudo o que conhecia e ainda com a dor da perda pesando no peito, ela toma uma decisão e usa magia  para salvá-lo. Agora, Drake, o dragão, e Selene dão início a uma jornada para reconciliar ambas espécies. Porém, percebem que há muito mais em risco ao receberem uma missão de uma Deusa poderosa e temperamental. Todos têm objetivos ocultos, e o sucesso ou fracasso desta missão pode provocar mais consequências do que se imagina.

Espero que tenham gostado da indicação!
Abraços.

O Blog está de cara nova!


Oi Pessoal!
Hoje trago uma ótima novidade para vocês!
No começo do próximo mês o blog completa dois anos de existência e em comemoração, resolvi mudar o visual do blog. O resultado foi melhor do que imaginava e por isso resolvi destacar algumas mudanças e funcionalidades desse novo layout, let's go!

1 - Paleta de Cores - Eu mantive o padrão da paleta anterior, pois o lilás é uma das minhas cores favoritas e acredito que identifica bem a minha personalidade no blog. A grande novidade foi o maior uso da cor branca, que resultou em uma aparência mais "limpa" e super combinou com essa nova fase do Inania Verba.

2 - Navegação responsiva - O layout anterior já tinha versão para celulares e tablets, mas o novo tema é bem mais intuitivo e torna a navegação mais agradável em aparelhos móveis, facilitando a localização de qualquer página do blog.



3 - Postagens relacionadas e comentários pelo Facebook - Algo que sempre quis colocar por aqui foram as postagens relacionadas que proporcionam maior comodidade ao procurar outros artigos com o mesmo tema e faz com que o leitor passe mas tempo navegando pelo blog. Além disso, visando a facilidade para os leitores, a utilização do facebook para comentar foi adicionada. Ou seja,  não é mais necessário ter um perfil no Google + ou blogger para poder deixar seu recado por aqui! :D

4 - Rodapé com Instagram - Criado há pouco tempo, o perfil do Inania Verba no Instagram também tem um lugar específico aqui no layout, que é lá em baixo, no rodapé do blog. Basta clicar em uma das fotos para ser redirecionado ao site e ficar por dentro das novidades por lá também!

Espero que tenham gostado tanto quando eu gostei das mudanças, pois tudo foi pensado em viabilizar a visita e participação do leito por aqui.
Agradeço a Michele Daiana, que foi quem fez o layout com tanto carinho e prestatividade.
Utilizando da modéstia (haha), ficou muito lindo!

Abraços e até a próxima. :D

20 Coisas que aprendi com o filme "A menina que roubava livros"

Olá, queridos leitores do blog Inania Verba! Como estão?
Meu nome é Lana, sou a responsável pelo Blog sendo útil, onde falo sobre estética e saúde. Estou escrevendo no blog da Marisa, devido a uma participação do projeto 20 coisas, em que estamos fazendo parte. Criado pela Michele (Michellândia) e a Heloisa (Onde cê vai loko?), o projeto tem por objetivo aumentar a interação entre os blogueiros de diversas temáticas. Neste projeto, falamos sobre 20 tópicos baseados no tema abordado no blog do parceiro.

 Como o Inania Verba fala sobre literatura, resolvi falar sobre as 20 coisas que aprendi com “A menina que roubava livros”. Enfatizo que não é uma crítica ao filme, mas apenas lições e relexões do que aprendi ao vê-lo.
Para vocês entenderem melhor, o filme retrata a vida de Liesel, uma menina que é adotada por uma família Alemã, após sua família ser perseguida pelo nazismo. Abalada pela brusca separação de sua família e pelos fardos da guerra, ela encontra nos livros acalento e proteção para seguir a diante.
Agora, vamos começar com as lições:

1) Livros não são apenas livros
É um engano achar que livros são apenas páginas escritas e inspiradas por alguém. O significado vai muito além do que isso, como já dizia Mario Quintana, “Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas.”

2) “Palavras são vida, Liesel!”
No início do filme, vemos uma Liesel calada e cabisbaixa, mas tudo começou a mudar quando ela passa a conhecer o poder das palavras. A partir daí, mesmo em plena guerra e com a tristeza estampada na cara, ela encontra na leitura, um refúgio para os seus medos e acalento para a sua alma. Aprendi que podemos transformar o poder das palavras e imaginar belas histórias, mesmo em meio ao caos. 

3) Livros eram censurados na Alemanha Nazista
Neste momento tão delicado da nossa história, as pessoas que liam livros não eram bem vistos pelos militares. Isto é bem fácil de entender, afinal ler um livro é obter conhecimento, coisa que os militares não aceitavam, já que quanto menos conhecimento a sociedade tivesse sobre o nazismo e o comunismo, melhor.

4) Na guerra, não havia distinção entre crianças e adultos
As cenas são de uma crueldade sem tamanho, mas obrigar crianças a se alistarem ao exército, era realidade na Alemanha. Caso não obedecessem, os pais seriam torturados e mortos. Foi assim que muitos filhos se sacrificaram para poder salvar as suas  famílias.

5) Boas amizades são feitas em momentos difíceis
É emocionante o laço de amizade firmado por Liesel e Max. Uma amizade formada  em uma fase bem difícil, tanto para a Max, quanto para a família de Liesel, que ficou temerosa ao assumir o risco de abrigar um judeu em sua casa. No final, vemos que essa amizade durou quase que a vida inteira de ambos.

6) Ainda existia ternura em meio a guerra 
Nos filmes de guerra, estamos acostumados a presenciar homens duros, desumanos e cruéis. Não é o que acontece com o Hans, o pai adotivo de  Liesel, que passa a amá-la de uma forma tão singela e doce, deixando para trás os males do nazismo.

7) Boa noite, Majestade!
Era assim que Hans falava com Liesel, e foi com ele que aprendi a tratar a quem amamos da melhor forma possível, sempre exaltando o melhor de cada um de nós.                                                           

8) "Família" é uma palavra que está muito além de singelos laços de sangue
 Foi emocionante ver a forma como Liesel se entregou a família que a recebeu como filha, e como Hans e Rose encontraram nela uma razão para viver. Os laços de fraternidade e cumplicidade se tornaram bem maiores do que os da própria família biológica de Liesel.

9) A morte pode ser doce, meiga e gentil
É claro que sempre ouvimos palavras nada amigáveis, quando se fala da morte. Mas, no filme a morte é retrata como uma criatura sentimental. Especificamente no final do filme, vemos ela retratando os últimos sentimentos dos personagens e as dores vivenciadas por eles. 

10) Livro é para ser lido, mas antes deve ser querido 
Ler não é apenas obter o conhecimento ou aprender algo com a leitura. É muito mais que isso, deve-se ler e dar vida aquelas palavras, dar-lhe alguma significação e fazer transpassar essas palavras de geração em geração. Essa foi a missão de  Liesel.

11) Aproveite as oportunidades antes que seja tarde demais [Spoiler]
Uma frase um tanto “clichê”, mas pior que é a pura verdade. Engraçado que Liesel sempre rejeitou o beijo de Rudy, mas foi quando ele morreu, que ela se arrependeu de nunca tê-lo beijado antes.

12) Se não puder fazer nada, faça tudo que puder
Em uma cena,  Hans tenta defender um Judeu, ao vê-lo sendo massacrado por militares. O resultado disso é que ele acaba sendo recrutado para a guerra. 

13) Sempre faça as coisas certas, mesmo que isso custe a sua vida
Em uma das cenas do filme, Hans e Rose se encontram entre a cruz e a espada, quando se deparam com Max ferido em sua porta. O rapaz, como era Judeu, seria um forte risco para a vida da família, mas mesmo assim a família o abrigou, sem pensar nas consequências, pois era o certo a se fazer.

14) Dê algo a alguém que precisa mais do que você 
Uma das cenas mais lindas de Rose, é quando Max se despede para partir e ela o entrega um queijo, que a família havia guardado a muito tempo. Uma forma de carinho para alguém que estava necessitando mais do que eles.                                

15) Nem sempre protagonistas são os personagens principais das histórias
É impressionante como a morte, a narradora da história de Liesel, tomou para si todo o protagonismo do filme. Ela aparece apenas em alguns momentos, mas já é o suficiente para nos fazer refletir sobre a desumanidade dos seres humanos. Ela retrata essa questão sob uma visão bem realista, e não sobrenatural.

16) Pessoas boas devem amar seu inimigos
Mais uma frase “clichê”, mas que faz todo sentindo, já que Liesel tinha todos os motivos do mundo para odiar os alemães, por terem sido o motivo da morte do irmão, da perseguição do pai e da separação da mãe. Mesmo assim,  Liesel usou os livros para levar palavras de amor e esperança aquelas pessoas.

17) Temos uma relação de amor e ódio com as palavras
Em um momento do filme, Liesel fala que odiou e amou as palavras. De um lado, podemos perceber, que Hitller usou bastante as palavras para causar ódio e violência entre nazistas e comunistas, por outro lado, descontente com essa situação, ela procurou explorar o melhor das palavras e torná-las suas “amigas” contra o ataque feroz da ditadura.

18) Livros são como amuletos para nossa alma
Ao final do filme, me veio a reflexão que livros são como uma espécie de amuleto. Podemos levar e folhear aonde quisermos, refletir e pensar sobre o conteúdo daquele livro em qualquer lugar que estivermos e da maneira que quisermos. Eles podem nos cobrir de felicidade e de esperança em qualquer momento do nosso dia. Basta querer!

19) Os seres humanos são assustadores
Sim, é com essa frase que a morte termina de narrar a história de Liesel. Afinal, foram e são, até hoje, tantas vidas ceifadas, pela guerra e desencontros de ideais. Mesmo que o livro nos mostre que a generosidade não se abala nem nos momentos mais difíceis da vida, bombas, holocaustos e guerras estão bem longe de ficar para trás.                                                                               

20) Palavras são o retrato da vida 
É com essa última reflexão que termino esta publicação. Liesel viveu até seus 90 anos e impactou gerações com seus livros, histórias e desbravuras. As palavras que foram ditas e verbalizadas por ela, se tornaram o retrato de uma vida. Agora quero saber de vocês, queridos leitores, que palavras tem surgido de efeito em sua vida ?

Reflitam. Um Beijo!

Meu blog – Blog Sendo útil 
Fanpage-  Blog Sendo Útil
Instagram: Instagram Sendo Útil
Blog da Michelle -  Michellândia
Blog da Heloisa – Onde cê vai Loko?

Lógica - Grupo Mensagem


Existe um dito popular que afirma que são as perguntas que movem o mundo. Não posso deixar de concordar, já que não dá pra imaginar como nós estaríamos hoje se não fosse as pessoas "curiosas" e os inúmeros benefícios trazidos por suas teorias, descobertas e invenções.
A música que ilustra esse post traz em sua letra vários questionamentos válidos, abordando várias temáticas inclusive o relacionamento do homem com Deus.
Com uma proposta criativa e uma melodia bem leve, a canção proporciona aos ouvintes reflexão e edificação, além do lindo clipe que fizeram para a música.
Confiram o vídeo e a letra:
Espero que tenha passado pelo menos um pouquinho do amor que tenho por essa música através desse post.
Beijos!

Livro - Alguém como você

Título: Alguém como você
Autora: Taynara Lima
Editora: Independente
Páginas: 158
Onde Comprar: Amazon  
Avaliação  [4/5]


Jesse Blake é Jornalista, formado pela British Columbia University, uma das universidades mais respeitadas e prestigiadas do Canadá. Antigo aluno da faculdade, depois de passar pelos mais respeitados jornais do país, ele resolve realizar um antigo sonho: dar aulas. Nathalí Lavinski é brasileira e juntou dois sonhos e realizou de uma vez. De uma família humilde, ela trabalhou e estudou muito para conquistar a bolsa de estudos na British Columbia University e conseguir cursar Jornalismo. Mas o senhor Blake é uma pedra no sapato de Nathalí, as aulas de Jornalismo Investigativo são as piores possíveis. Durante uma das aulas, Blake faz um convite inesperado e chama Nathalí para ser sua assistente. Um escândalo envolvendo estupros em uma Universidade vizinha é o estopim para que eles comecem a investigar. Mas a pergunta que não quer calar é: será que esses dois conseguem trabalhar juntos?
'Alguém como você' é um livro de publicação independente da escritora Taynara Lima, é o primeiro livro de uma duologia e o segundo livro tem lançamento previsto para julho.
Nathalí Lavinski é uma garota determinada e sonhadora que almeja fazer um curso superior e morar fora do Brasil. Após muito empenho ela consegue unir os dois objetivos ao conseguir uma bolsa na UBC (University of British Columbia - Canadá) para cursar jornalismo. 
Na mesma proporção que sua nova vida lhe traz muitos benefícios, como sua singela amizade com Andrew, alguns incovenientes também lhe sobrevém, como a estranha antipatia de Jesse Blake, seu professor de Jornalismo investigativo. Apesar da implicância de Blake, a atração que ele desperta em Nathalí é iminente, mas diferentemente das demais garotas ela não se mostra submissa às repreensões do professor e sempre que pode procura desafiá-lo respondendo à altura. A ousadia de Nath chama a atenção de Blake que logo a convida para trabalhar para ele como sua estagiária.
A partir dessa convivência que tinha tudo pra dar errado, os dois se apaixonam, sentimento que será posto à prova em todo os aspectos possíveis. O relacionamento entre aluna e professor é proibido na UBC e várias pessoas estão dispostas a impedir o envolvimento amoroso dos dois.
Aqui é lindo - falei, tentando quebrar o contato visual que começamos desde a hora em que sentamos. - Eu também acho. Achei que seria mais apropriado e tranquilo se fosse aqui. - Foi uma ótima escolha, Sr. Blake. - Você pode me chamar de Jesse. Apesar de eu adorar quando você me chama de Sr. Blake. - Ele sorriu.
No meio desse turbilhão de sentimentos, Blake e Nathalí iniciam uma investigação de uma série de estupros em uma Universidade vizinha e o resultado disso pode mudar definitivamente o rumos não só de suas vida, mas de todas as pessoas que estão em sua volta. 
Apesar de abordar a premissa de um romance entre aluna/professor que é tão frequente no entretenimento em geral, os detalhes da história trazem um diferencial para o gênero. A evolução dos personagens é evidente, Nath se mostra uma mulher forte e a postura resignada de Blake na verdade mascara alguns traumas, fruto de decepções que teve no passado. Andrew é outro personagem que merece destaque, por se mostrar um amigo leal e prestativo a todo momento.
A linguagem do livro é simples e a narrativa é em primeira pessoa, explorando o ponto de vista de mais de um personagem, o que achei muito legal. 
Se tivesse algo a acrescentar seria mais detalhes em algumas passagens, pois apreciaria ter mais informações sobre certos personagens secundários.
Em síntese o livro é uma leitura leve, cheio de suspense, intrigas e muito romance(rs) que proporcionará ao leitor um final avassalador e me deixou ansiosa pela continuação para saber como vai terminar a história de Blake e Nath.
Recomendo a leitura!

Livro - Pérola na areia

Título: Pérola na areia
Autora: Tessa Afshar
Editora: Bvbooks
Páginas: 352
Onde Comprar: Amazon  | Saraiva | Bv Loja
Avaliação✮ 


Como uma gentia, marcada por um passado arruinado e de má reputação, pode fazer parte da linhagem de Cristo e se tornar símbolo de fé autêntica e irrepreensível diante de Deus? Seria possível. Alguns podem questionar o fato de Raabe ter sido respeitada, a ponto de ter seu nome escrito nas Escrituras, mas poucos teriam a mesma ousadia. O livro Pérola na Areia quebra alguns tabus acerca da redenção dessa mulher que, embora gentia, reconheceu a soberania do Deus de Israel e ousou enfrentar o seu próprio povo. Ela fez a graça de Deus alcançar sua vida, tornando o pecado como fio escarlate, agora, na pureza mais alva que a neve. Todos conhecem a história de Raabe, a prostituta, mas poucos reconhecem que foram sua ousadia e fé balizadas pela boa obra que salvaram os espiões e os ajudaram a conquistar a Terra Prometida. Pérola na Areia o conduz a uma incrível e emocionante jornada pela história de uma gentia, que, em meio a uma nação pagã destruída, teve a vida poupada como fruto de sua fé sincera. Vemos, também, que Salmom - um grande homem de fé, influente líder de Judá estimado em toda Israel e inimigo dos gentios - fará Raabe redescobrir um sentimento intenso e conflitante que começará em seu próprio coração. Descubra como uma gentia alcançou tal graça diante de Deus e fez parte da genealogia de Cristo.

"Pérola na areia" é uma romance baseado na história bíblica de Raabe, uma mulher que desde sua adolescência foi obrigada a se prostituir em troca da subsistência da família, que passava por muitas dificuldades devido a rigorosa seca que assolava Jericó. 
A tristeza de Raabe foi imensurável ao descobrir que o próprio pai estava sacrificando sua honra e felicidade por um punhado de moedas de ouro. A partir de então ela teve que conviver com a discriminação por parte da sociedade em que vivia, fato que ela conseguiu 'contornar' com uma falsa conformidade com sua vida de zonah ao longo dos anos, mesmo que isso lhe custasse a possibilidade de constituir família ou se envolver amorosamente com alguém, o que ela refutava com veemência por não conseguir confiar em mais nenhum homem desde o dia em que foi traída por aquele que mais ela amava.
Por causa de tudo que lhe aconteceu, Raabe procurava manter-se afastada da religiosidade e os deuses de Jericó, mas seu coração foi tocado quando ouviu falar de um Deus misericordioso que se compadecia do sofrimento humano: o Deus dos hebreus. 
Raabe soltou das mãos de Debir o cacho de seus cabelos."O que mais esse homem falou para você sobre o deus deles?"Debir deu de ombros. "Ele é um tanto peculiar. Não permite que estátuas dele sejam construídas, as pesoas não podem vê-lo ou tocá-lo; ele diz ser o Único e Verdadeiro Deus, por todos os lugares e acima de tudo."
A vontade de saber mais sobre esse Deus era tão grande que levou Raabe ao extremo de esconder dois espiões hebreus e, consequentemente, inimigos de seu povo em sua casa.  Ao conversar com eles, estremeceu ao saber que Jericó seria destruída e acordou com os espiões o livramento dela e de sua família em troca do abrigo cedido aos dois.
Após a destruição e queda dos muros de Jericó, Raabe passa a conviver com os hebreus, disposta a aprender seus costumes e deixar para trás seu passado que lhe trazia tanto constrangimento.
Raabe é bem recebida por Josué, líder de Israel. A reação contrária vem de Salmom, um dos líderes da tribo de Judá que não aprova a ideia de uma zonah habitar em meio ao povo hebreu. O que ele não esperava era se atrair por Raabe e notar que é retribuído. Muitas barreiras terão que ser derrubadas para que esse relacionamento acontaça, diante da visão do povo de Israel e dos dois, sendo necessário que eles enfrentem seus conflitos interiores para poder usufruir do verdadeiro amor.
O livro aborda bastante a luta de Raabe para ser reconhecida pela pessoa em que se transformou e não ser julgada pelas suas atitudes do passado. Sua aproximação com o 'Deus dos hebreus' é bastante explorada e resulta em trechos edificantes para o leitor. Tessa consegui trazer leveza dos diálogos e ao mesmo tempo lições importantes, tornando a narrativa agradável através de sua linguagem simples e espontânea.
A diagramação é simples e com folhas brancas. A história é narrada em terceira pessoa e a visão dos fatos é valorizada devido a esse detalhe.
Apesar de já conhecer o relato da bíblia, 'Pérola na areia' conseguiu me surpreender com seus detalhes responsáveis por dar um toque especial na história, representados até no título do livro, que tem seu significado revelado ao longo das páginas e que me deixou encantada.
A experiência dessa leitura foi muito positiva e posso elencar o livro como uma das melhores leituras realizadas até agora.
Recomendo a todos essa maravilhosa leitura!


Parceria - Autora Helena Souza - (Im)Perfeição

E as novidades por aqui não param! O post de hoje é para comunicar a vocês que o blog foi selecionado para uma nova parceria, dessa vez com a autora Helena de Souza! Nem preciso dizer que estou muito, mas muito feliz! Agradeço à Helena pela confiança e, como toda parceria aqui do blog, desejo sucesso e crescimento mútuo para o ano de 2017.
Vamos conhecer um pouco mais sobre a autora:

Helena Souza, Campo Grande/MS, 21 anos. Sempre foi um pouco reclusa devido a sua timidez. Desde criança é um poço de histórias, seja brincando com bonecas ou sozinha imaginando situações. Não se considera uma pessoa criativa no sentido geral, pois se derem um lápis e pedir para que desenhe algo, qualquer coisa que pensar, o máximo que conseguirá é uma flor que qualquer criança de 8 anos faz (e pessoas-palitos, claro), mas quando se trata de contar histórias, inventar momentos, é com ela que você deve falar.
            No fundamental, enquanto todos faziam cara torta quando os professores pediam uma redação, ela abria o sorriso e fazia com gosto, então descobriu sua habilidade: a escrita. Desde então se arrisca em poemas, crônicas e contos, este último o qual ela se identifica mais.
Você pode saber mais acessando as redes sociais da autora:


Sinopse do livro:


Livro: (Im)Perfeição
Lançamento: 2016
Páginas: 400
Adicione na estante: Skoob

Forest Hill, 2013. A cidade está em tensão, ninguém sabe quem será o próximo, bom, devido aos últimos três corpos encontrados, garotas loiras são as que correm mais perigo. Alguns meses atrás ninguém naquela pacata cidade poderia imaginar que alguém entre eles, algum vizinho, amigo, ou conhecido poderia ceder à loucura e começar a caçar pessoas para matar. Mas agora está tudo diferente, todos são suspeitos. A polícia trabalha sem descanso em busca do responsável, mas quem está por trás disso é alguém bem engenhoso, sabe muito bem onde agir e como agir. O telefone não para de tocar, são cidadãos apavorados que dão nomes aleatórios somente para que aja uma prisão logo, isso faz com que as investigações não avancem da maneira desejada. O resultado? Após 10 meses e com um saldo de 6 jovens mulheres encontradas mortas na região do pântano próximo a cidade, o assassino simplesmente parou de atacar. Nunca fora pego.Forest Hill, 2015. Lentamente a cidade voltou ao seu ritmo, o medo aos poucos havia desaparecido e os moradores passaram a sorrir com mais frequência. Sophie Fields voltou há alguns meses para a cidade, formada em artes visuais, seu senso de dever a faz ajudar a mãe na padaria. Josh Sanders é filho de um conhecido detetive da cidade e, por consequência, acabou se tornando um. Tanto pai como filho trabalharam no caso Maníaco do Pântano, que assolou a cidade há dois anos, depois disso o pai se aposentou e o filho agora é o único Sanders detetive.(Im)Perfeição é narrado através das perspectivas de Sophie e Josh, dois jovens que, em meio a um romance, descobrem que o terror que todos pensavam ter acabado, decidiu voltar.

Você pode adquirir o livro físico ou digital nos links abaixo:

Só com a sinopse a curiosidade é despertada para a leitura do livro. Não deixem de conferir a resenha por aqui em breve!
Até a próxima.


Livro: O Saotur - Segredos de um reino sem nome


Título: O Saotur - Segredos de um reino sem nome - 1
Autora: Natalia Smirnova Moraes
Editora: Independente
Páginas: 364
Onde Comprar: Amazon  | Clube de Autores
Avaliação✮ 

Se o bater das asas de uma borboleta pode causar uma tempestade do outro lado do mundo, poderia então uma pérola afetar o destino de uma raça inteira?Depois de se aventurar pelo mundo em um navio de saqueadores e criminosos, Constantin Teller é levado por um trágico naufrágio à terras das quais o mundo nunca ouviu falar. Terras guardadas por escudos de Menelau como se fossem o maior dos segredos. O forasteiro é resgatado por Lyhty Morken Fin, uma jovem que chama a atenção pelo olhar de cor púrpura e vitalidade contagiante, e que torna-se uma amiga para a qual ele confessa uma vida de crimes e promiscuidade. Aspirante a escritor, Constantin deseja espiar seus crimes quando é levado até a capital onde passa a morar. Mas nem tudo está em paz nessas terras estranhas e a aparição do forasteiro apenas esquenta ainda mais os ânimos de um povo dividido, de uma raça oprimida e de um castelo envolto em mistérios. Um confronto entre o povo das águas e o reino já é inevitável.Aventuras, segredos, traições, orgulho e amores proibidos são apenas algumas das facetas de um lugar cuja existência foi oculta por séculos. Histórias envolventes que vão mudar o rumo de muitas vidas, criaturas majestosas e revelações chocantes ilustram os capítulos deste livro.
O Saotur é o primeiro livro da trilogia Segredos de um reino sem nome da autora Natalia Smirnova Moraes.
Logo nas primeiras páginas somos apresentados a um lugar mágico e paradisíaco, onde dois povos distintos e inimigos mortais dividem o mesmo espaço. Os humanos habitam em terra firme e os mares que cercam os vilarejos do reino abrigam os Saotur: criaturas aquáticas de pele prateada, unhas venenosas, dentes afiados e de natureza predadora, principalmente de humanos. A tensão entre os dois povos é tão grande que se o limite das terras for ultrapassado, a morte é o destino certo para o infrator.
E é para esse ambiente hostil que Constantin Teller é levado pelas águas responsáveis  por naufragar o Volvet, que foi sua morada e de outros tripulantes durante muitos anos. O forasteiro é encontrado desacordado na areia por Lyhty, uma menina da casa de Silith (casa dos costureiros) muito alegre, prestativa e bem-humorada. Com os cuidados da garota dos olhos de púrpura a recuperação de Constantin é iminente e o desejo do rapaz  é descobrir mais informações desse local tão diferente dos quais já tinha pisado.
Constantin já tinha vivido de tudo um pouco mas era diferente dos piratas que convivia: sonhava em ser escritor e ser reconhecido por isso. O que não imaginava é que seria incumbido dessa função nessas terras desconhecidas e que na companhia de Lyhty passaria por muitas aventuras que ficariam marcadas não só nas páginas de seu livro, mas na sua memória  por todos os dias da sua vida.
O livro possui vários pontos fortes e merecem destaque as várias histórias retratadas que se entrelaçam perfeitamente com a trama principal. Uma dessas histórias é a  de Helena e Lótus, que nutrem um amor impossível capaz de mudar o destino de todos os habitantes do Reino sem nome.
A narrativa é tão cativante que li o livro em três dias, a metade de uma só vez. Os diálogos e a descrição dos lugares são muito bem construídos, capazes de transportar o leitor para outra dimensão. Os personagens são surpreendentes, pois nenhum atende a premissa de ser bom ou mau em todo o tempo, tudo depende dos acontecimentos a que são submetidos e a postura é de acordo com a urgência que exige a situação. Isso resultou em um final que me deixou perplexa durante vários minutos.
O Saotur é a prova que que a literatura nacional abriga muitos talentos que precisam ser mais divulgados e conhecidos pela comunidade de leitores.
Para quem não dispensa uma boa dose de fantasia, romance a aventura  esse livro é a escolha certa, pois consegue mesclar todos os temas com muita competência, nos deixando ansiosos pelos próximos livros da trilogia.
Recomento [muito] a leitura!

Até a próxima!