Tecnologia do Blogger.

Pendurando planos, abraçando sonhos

Imagem


















  
Essa crônica foi retirada do livro "Da boca pra dentro" da escritora Yohana Sanfer. Saiba mais sobre a obra na página do livro. Todos os direitos reservados a autora ©. 
O vento que passou por aqui me descabelou. Rodou minha saia e os pensamentos. Bagunçou as ideias arrumadinhas, sacudiu o meu querer. Levou embora minhas perguntas, driblou minha mania de certezas e afagou minha sede de respostas.
Como brisa que amansa com o tempo, beijou-me os cabelos e acolheu os meus receios. Falou em meu ouvido e me bordou asas grandes. Velou meu sono e me ajudou a levantar cedinho. Vento feito passarinho. Mandou meu medo voar.
Varreu as dúvidas que prendem os passos, limpou a poeira que a ilusão deixou. Vento brando mas certeiro. Vento sem pressa mas revelador. Deixou vírgulas fora de lugar e reticências em lugar de ponto final. 
Fosse o vento algo palpável, me daria a mão. Ajudaria a criança em mim a atravessar a rua e as fases de impasses desta vida.
Vento bom que me inspirou. Levantou a folhagem do meu quintal feito manhã de outono. Sua festa sacudiu o meu varal. Espalhou pelo chão as estrelas que eu pendurei. Disse que vontade que nasce no peito tem que vir do chão e criar raiz.
Obedeci ao vento, me rendi como aprendiz. Estou pendurando planos e abraçando sonhos. Estou rasgando listas e multiplicando vontades. Largando as bordas do que conheço e indo ao encontro do que ainda não vi.
Estou deixando de temer pelo futuro e botando fé naquela intuição gostosa que diz que ele pode ser bom. Deixo de seguir por caminhos já trilhados e de me guiar pelo que esperam de mim. Desato os nós dos desejos sbafados por dentro e curso os ditados pelo coração.
Minha bagagem está cheia do brilho da imaginação. Cheia de uma paz conquistada e de uma alegria ousada. Cheia de tempo pra ser inteira e pra olhar ao redor.
E não abandono a razão que existe em mim. Meus passos são conscientes. Meu jogo é pra ganhar. Visto o meu sorriso, perco minhas chaves, me desfaço de mapas, me jogo na berlinda da vida e vou. E voo.
O vento que passou por aqui me ensinou a voar. Um vento chamado coragem.

A reflexão através da arte


Imagem













 Se existe algo extremamente positivo na internet é o incentivo ao pensamento de várias formas, a exemplo disso temos a veiculação de tirinhas humorísticas que expressam através de seus textos mensagens críticas e meditativas. 
Hoje decidi trazer algumas tirinhas que representam muito bem esse segmento tão interessante interligando o pensamento à arte:

Bichinhos de Jardim - A autora busca trazer nesses cativantes quadrinhos situações cotidianas de forma simples e bem humorada, arrancando boas risadas do leitor:

Site da autora
Armandinho -  Um dos personagens mais conhecidos do segmento atualmente, Armandinho se mostra uma criança muito esperta capaz de opinar sobre os mais diferentes temas.

Página no facebook













Caio, o pardal pensativo - Outro personagem que faz muito sucesso nas redes sociais é esse pardalzinho subversivo, que sempre aparece com um ponto de vista pertinente sobre os tempo atuais.
Conheça o pardal no Facebook
Ricardo Siri Linieres - Descobri essa página por acaso e foi uma das melhores descobertas do ano. O autor dos quadrinhos possui mais de 20 livros e 3600 desenhos publicados em vários países, um acervo repleto de humor e sensibilidade abordando os mais diversos assuntos do seu país e do mundo.
"Você tem Facebook?" "Não." / "Instagram?" "Não." /"Twitter?" "Não."/ "Snapchat?" "Não." / "Whatsapp?" "Não." / "E o que você tem?" "Tempo."
Saiba mais no site do autor.

Bônus: Mafalda  - Como abordar esse assunto e não falar numa das personagens mais famosas e geniais das tiras humorísticas? Mesmo com o passar dos anos (a personagem foi criada em 1962) os questionamentos feitos por essa menina revolucionária perduram até hoje. Mafalda é  simplesmente fantástica!
"Hoje saiu no jornal uma notícia deprimente. Em todo o mundo trabalham 43 milhões de meninos em más condições." / "Você percebe?! É um relatório da Organização de Trabalho e o que sei eu! 43 milhões de meninos devem trabalhar para viver!
"E? Temos nós a culpa? Não! Podemos solucionar semelhante problema? Não! A única coisa que podemos fazer é nos indignar e dizer: Que barbaridade!"
"QUE BARBARIDADE!"
"Pronto. Diga você também Que barbaridade, assim nos despreocupamos desse assunto e poderemos jogar em paz."

Certas mensagens nos dão um choque de realidade e isso é simplesmente admirável.

Vou ficando por aqui, 

¡Hasta luego!